A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Champanhe na celebração da morte de Thatcher

Champanhe na celebração da morte de Thatcher
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto uns choram, outros celebram com champanhe a morte de Margareth Thatcher. No centro de Glasgow, na Escócia, centenas de pessoas festejaram efusivamente. A Grã-Bretanha está dividida.

Na Irlanda do Norte, os republicanos têm também más memórias da “dama de ferro”, como explica o líder do Sinn Fein, Gerry Adams. “Como primeira-ministra, Margareth Thatcher fez muito mal ao povo britânico, às classes trabalhadoras mas também as pessoas, aqui, na Irlanda do Norte. Suponho que os republicanos e os nacionalistas – e talvez muitos outros – vão lembrar-se do vergonhoso papel que teve durante as greves de fome nos anos 1980 e 1981”, declarou.

A crise das greves de fome de prisioneiros norte-irlandeses em 1981 é um exemplo que caracteriza a determinação e firmeza da “dama de ferro”. Thatcher não cedeu ao jejum dos detidos conotados com o IRA. 10 morreram de fome, levando os restantes prisioneiros acabar com o protesto.

Thatcher venceu, mas com um custo político elevado. Ficou com a imagem prejudicada e inflamou o espírito da luta terrorista.