Última hora
This content is not available in your region

Thatcher sem funeral de estado para evitar "polémicas divisivas"

Thatcher sem funeral de estado para evitar "polémicas divisivas"
Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido prepara-se para enterrar Margaret Thatcher na próxima semana, sem funeral de estado – alegadamente a pedido da própria, para evitar “polémicas divisivas” no parlamento – mas com direito a honras militares.

O corpo da ex-primeira-ministra conservadora britânica foi retirado, esta noite, do hotel onde faleceu, na segunda-feira, aos 87 anos de idade, vítima de um acidente vascular cerebral.

Ausente da vida pública há mais de duas décadas, depois da sua demissão do governo e na sequência de vários problemas de saúde, o falecimento da “dama de ferro” ressuscita as divisões do passado, entre admiradores da estadista e detratores do ultraliberalismo que personificou.

A classe política europeia e internacional multiplicou ontem os elogios ao papel da “dama de ferro” na recuperação da economia britânica nos anos 80, apesar dos conflitos sociais, o conflito das Malvinas e uma guerra, nem sempre limpa, contra os separatistas irlandeses.

Os detratores dividem-se, entre os que consideram que a crise atual enterra a herança ideológica de Thatcher e aqueles para quem as receitas da dama de ferro continuam a inspirar as atuais políticas de austeridade.