Última hora
This content is not available in your region

Agressões físicas no Parlamento da Venezuela

Agressões físicas no Parlamento da Venezuela
Tamanho do texto Aa Aa

Os deputados venezuelanos passaram dos insultos à ação.

As agressões físicas começaram após a votação de um texto que proibia a oposição de se exprimir no Parlamento. A maioria justifica o texto com o facto dos deputados se recusarem a reconhecer a vitória de Nicolás Maduro nas presidenciais de abril.

O sucessor de Hugo Chávez responsabiliza a oposição pelos incidentes.

“Sabemos que a oposição vinha com o objetivo de provocar violência e que houve uma troca de murros. Esta situação não se pode repetir. Pedi, pessoalmente, ao presidente da Assembleia Nacional para que tome medidas que restaurem a disciplina para que isto não se repita” afirma Maduro.

Julio Borges, deputado de direita garante que tudo começou depois da oposição ter denunciado um golpe de Estado no Parlamento:

“Estávamos sentados. Essas pessoas aproximaram-se e sem dizer uma palavra começaram a bater-nos.”

De acordo com o líder da oposição, sete deputados ficaram feridos.
Henrique Caprilles contesta o resultado das presidenciais e exige uma recontagem dos votos.