A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Michael Haneke vence prémio Príncipe das Astúrias nas Artes

Michael Haneke vence prémio Príncipe das Astúrias nas Artes
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Michael Haneke, o aclamado realizado de filmes como “Amour” (2012) ou “O Laço Branco” (2009), é o vencedor do prémio Príncipe das Astúrias para as Artes, a primeira das oito categorias a concurso nesta 33.a edição do galardão promovido pela Fundação com o mesmo nome. O anúncio do vencedor foi realizado ao meio-dia desta quinta-feira, hora local em Oviedo, onde o júri se reuniu na manhã de quarta-feira para eleger o vencedor de entre as 33 candidaturas inscritas nesta categoria provenientes de 20 nacionalidades, incluindo Portugal.

O cineasta Michael Haneke, de 71 anos, sucede no prémio ao arquiteto espanhol Rafael Moneo, vencedor em 2012, ano em que também concorreu a pintora portuguesa Paula Rego. O austríaco era considerado um dos favoritos, ao lado do bailarino cubano de 39 anos Carlos Acosta, que faziam parte lista final reduzida a cinco candidatos na quarta-feira pelo júri do prémio. Os outros três integrantes desta lista final eram a performer sérvia Marina Abramovic, de 66 anos; o artista contemporâneo norte-americano Bruce Nauman, de 71; e o compositor estónio Arvo Pärt, de 77.

O ano de 2013 está, desta forma, a revelar-se de ouro para Michael Haneke. Com o filme “Amour”, que contou com a atriz portuguesa Rita Blanco, o austríaco chocou os espetadores com a história desconcertante dos últimos dias de um casal octogenário em França e colecionou prémios. Foi o melhor filme estrangeiro nos Óscares, nos Globos de Ouro e nos Baftas. Foi eleito melhor filme em Cannes, onde arrebatou a plateia e a Palma de Ouro, e recebeu o César para melhor filme do ano em França.

Mas não terá sido apenas por “Amour” que o júri da Fundação Príncipe das Astúrias destacou Haneke. A carreira em crescendo de quase 40 anos do austríaco, com vários filmes realistas e desconcertantes, terá levado os jurados a destaca-lo dos demais candidatos, considerando que Haneke terá dado ao longo da vida um significativo contributo para o património da Humanidade, principal critério dos prémios atribuídos pela Fundação gerida pelos príncipes das Astúrias.

A categoria das Artes é a primeira das oito categorias dos prestigiados prémios espanhóis a revelar o vencedor deste ano. O próximo anúncio está marcado para 15 de maio e reporta-se às Ciências Sociais. A 23 de maio é conhecido o vencedor na categoria de Comunicação e Humanidades e menos de uma semana depois é anunciado o vencedor em Investigação Científica e Tecnológica. A 5 de junho será conhecido o vencedor na categoria de Letras, uma semana depois o da Cooperação Internacional e a 19 de junho o do Desporto, que há um ano foi partilhado pelos futebolistas espanhóis Iker Casillas e Xavi Hernandez. A derradeira categoria a eleger o vencedor deste ano é a da Concórdia, a 4 de setembro.

Portugal apresenta habitualmente candidaturas aos prémios Princípe das Astúrias e já arrecadou alguns. A Universidade de Coimbra e o ex-presidente da República Mário Soares, por exemplo, receberam o prémio na categoria de Cooperação Internacional, respetivamente, em 1986 e 1995.

Em outubro, pelas mãos do príncipe Filipe, de Espanha, realiza-se a entrega dos vários prémios deste ano, que inclui para cada um dos galardoados 50 mil euros em dinheiro, uma escultura do catalão Joan Miró, um diploma e uma insígnia.