Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Tunísia declara Ansar Al-Shariaa "ilegal" e terrorista

Tunísia declara Ansar Al-Shariaa "ilegal" e terrorista
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A calma regressou à Tunísia, cujo governo se diz determinado a lutar contra os djiadistas da Ansar Al-Shariaa que considera agora “terroristas”.

Depois dos confrontos de domingo, entre membros daquela organização e a polícia, na cidade santa de Kairouan, o primeiro-ministro tunisino, Ali Larayedh, pôs fim a uma eventual ambiguidade: os islamitas da Ennahda, que lideram o governo, não querem ter nada a ver com a Ansar Al-Shariaa: “A Ansar Al-Shariaa é uma organização ilegal. É uma organização que exerce violência contra indivíduos e locais sagrados; insulta e desafia o Estado; não reconhece a cidadania nem as regras nas quais o Estado se baseia; está ligada ao terror, no qual é especialista.”

O executivo proibiu o congresso da organização, depois de esta ter proferido ameaças de guerra. Foi essa proibição que levou aos confrontos, de domingo, com a polícia, que provocaram, pelo menos, um morto e centenas de detidos, entre eles, a ‘femen’ Amina, que tentou colocar uma faixa feminista numa mesquita.