Última hora
This content is not available in your region

Tribunal russo rejeita libertação antecipada de "Pussy Riot"

Tribunal russo rejeita libertação antecipada de "Pussy Riot"
Tamanho do texto Aa Aa

A justiça russa rejeitou o pedido de libertação antecipada de uma das cantoras do grupo Pussy Riot, por violação das regras prisionais. Condenada a dois anos de prisão, Maria Alekhina iniciou ontem uma greve de fome depois dos juízes terem probido o seu acesso às audiências. O cantor britânico Paul MaCarthney apelou hoje à libertação das duas cantoras do grupo que se encontram ainda na prisão.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.