Última hora

Última hora

Empresa de moeda virtual Liberty Reserve acusada de lavagem de 6.000 milhões de dólares

Em leitura:

Empresa de moeda virtual Liberty Reserve acusada de lavagem de 6.000 milhões de dólares

Empresa de moeda virtual Liberty Reserve acusada de lavagem de 6.000 milhões de dólares
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades federais dos Estados Unidos acusaram a Liberty Reserve da lavagem de seis mil milhões de dólares através do seu sistema de moeda virtual.

O fundador da empresa, Arthur Budovsky, foi detido no aeroporto de Madrid, juntamente com o “número dois”, o marroquino Azzeddine El Amine. A operação internacional, que contou com a colaboração de 17 países, resultou ainda noutras três detenções, em Nova Iorque e na Costa Rica, onde estava sediada a empresa.

O procurador federal de Manhattan, Preet Bharara, explicou que “a Liberty Reserve foi criada de forma intencional e estruturada para facilitar atividades criminosas. Era, essencialmente, um banco do mercado negro. Operou deliberadamente de forma a atrair e ajudar criminosos, que pretendiam usar a moeda digital para violar a lei e lavar os ganhos dos seus crimes”.

A Liberty Reserve é ainda acusada de permitir que a sua plataforma fosse usada para facilitar crimes como o tráfico de drogas, roubo de identidades ou pornografia infantil.