Última hora

Última hora

Prémio Príncipe das Astúrias atribuído aos descobridores do bosão de Higgs

Em leitura:

Prémio Príncipe das Astúrias atribuído aos descobridores do bosão de Higgs

Prémio Príncipe das Astúrias atribuído aos descobridores do bosão de Higgs
Tamanho do texto Aa Aa

Os descobridores do bosão de Higgs conquistaram o Prémio Príncipe das Astúrias de investigação científica e técnica 2013. O galardão, anunciado hoje, em Oviedo, Espanha, distinguiu os físicos Peter Higgs e François Englert e a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, o CERN.

O júri sublinhou que “a descoberta do bosão de Higgs constitui um exemplo emblemático de como a Europa liderou um esforço colectivo para resolver um dos maiores enigmas da Física.”

Um enigma tão grande que o bosão de Higgs é conhecido fora da comunidade científica como “a partícula de Deus” porque contém a chave para explicar o universo.

O galardão é uma prenda para Peter Higgs, que hoje comemora 84 anos. O físico britânico foi dos primeiros a teorizar a existência do bosão (que foi batizado com o seu nome), assim como o belga François Englert e Robert Brout (já falecido).

Só ao fim de meio século de investigação, a 4 de Julho do ano passado, o CERN anunciou que a partícula mais procurada da história existe. O bosão de Higgs, teoricamente surgido logo após o Big Bang, é a chave que explica a origem da massa das outras partículas elementares. Sem ela, o Universo simplesmente não existiria tal como o conhecemos.

A entrega do prémio no valor de 50 mil euros e de uma escultura de Joan Miró está prevista para outubro, em Oviedo.