Última hora
This content is not available in your region

Gasoduto TAP ganha corrida ao gás do Azerbaijão

Gasoduto TAP ganha corrida ao gás do Azerbaijão
Tamanho do texto Aa Aa

O gás natural do Azerbaijão vai chegar à Europa através do gasoduto TAP, a sigla inglesa para Gasoduto Trans-Adriático. A escolha foi anunciada oficialmente esta sexta-feira pelo consórcio que explora as reservas de Shad Deniz, no Mar Cáspio.

O diretor geral do gasoduto reagiu. Fala de um primeiro passo para criar uma rota através do sul, para melhorar a segurança energética e diversificar o abastecimento da Europa.

O gasoduto TAP é um projeto das empresas norueguesa Statoil, suíça Axpo e alemã E.On. Prevê-se que dentro de seis anos, o TAP ligue os gasodutos orientais ao sul de Itália, através do norte da Grécia, Albânia e Mar Adriático. Deverá transportar dez mil milhões de metros cúbicos de gás por ano.

A escolha do TAP foi em detrimento do Nabucco, o projeto de gasoduto apoiado por Bruxelas, e vai representar uma brecha no atual monopólio de abastecimento da Europa pelos russos da Gazprom.

Na assembleia geral de acionistas, o presidente executivo do gigante russo, Alexei Miller, considerou que se trata do “funeral do gasoduto Nabucco”.

Segundo a própria Gazprom, a empresa exportou, no ano passado, 138 mil milhões de metros cúbicos de gás para a Europa, o que correspondeu a uma quota de mercado do 26%.

Mas o gigante energético quer aumentar a fatia de mercado, depois de, no primeiro semestre deste ano, devido ao frio, as importações energéticas da Europa junto da Gazprom terem subido dez por cento.