Última hora
This content is not available in your region

Alemães indignados com espionagem

Alemães indignados com espionagem
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos interceptam 500 milhões de telefonemas, emails e mensagens SMS todos os meses na Alemanha.

As revelações surgem na mais recente edição da revista alemã Der Spiegel.

O documento citado pela publicação categoriza a Alemanha como um parceiro de terceira categoria, ao mesmo nível de países como a China, o Iraque ou a Arábia Saudita.

A Alemanha seria ainda o país da União Europeia mais vigiado.

As alegações baseiam-se em documentos da agência norte-americana de segurança, NSA, organização para onde trabalhava o fugitivo Edward Snowden.

Para além da Alemanha, também a União Europeia seria um alvo preferencial da vigilância dos norte-americanos.

Reagindo às notícias, o presidente do parlamento europeu, Martin Schulz, afirmou que a confirmarem-se, as alegações teriam um impacto profundo nas relações entre a União Europeia e os Estados Unidos.

As alegações surgem numa altura em que estão em curso negociações entre os EUA e a UE relativamente à criação de uma zona de comércio livre.

Os únicos países fora da lista de vigilância norte-americana seriam o Canadá, a Grã-Bretanha, a Austrália e a Nova Zelândia.