Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Primeiro-ministro húngaro contesta críticas de autoritarismo

Primeiro-ministro húngaro contesta críticas de autoritarismo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro da Hungria esteve presente para ouvir as críticas feitas num relatório do Parlamento Europeu, apresentado, esta terça-feira, na sessão plenária em Estrasburgo.

O eurodeputado português dos Verdes, Rui Tavares, foi o relator do documento e explicou que “não só o fundamento e a extensão das alterações são pouco comuns, mas a tendência geral que existe é de uma concentração de poderes na maioria e no governo”.

Em causa estão alterações à Constituição da Hungria que são vistas como uma ameaça à democracia pela UE. O chefe do governo húngaro não reconhece a acusação de deriva autoritária.

“Este relatório é profundamente injusto para com a Hungria e o seu povo. Claramente evidencia uma duplicidade de critérios. Não reconhece e minimiza o enorme trabalho que os húngaros têm feito para reformar o país”, disse Viktor Orbàn.

Apesar do executivo de Budapeste ter feito várias emendas para responder às exigências da UE, a Hungria arrisca-se a ser penalizada com a perda de direito de voto. O relatório é votado esta quarta-feira.