A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Quinta recusa de asilo para Snowden

Quinta recusa de asilo para Snowden
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Edward Snowden acusa os Estados Unidos de tudo fazerem para o impedirem de obter asilo político, segundo uma declaração do ex-consultor da NSA publicada pelo site WikiLeaks.

O homem que divulgou as escutas ilegais dos Estados Unidos ao resto do mundo já recebeu, pelo menos, cinco recusas de asilo e continua no aeroporto de Moscovo, aonde chegou no passado dia 23 de junho, vindo de Hong Kong.

A mais recente recusa chegou da Noruega e soma-se às da Polónia, Índia, Finlândia e Brasil. “As autoridades norueguesas podem, teoricamente, permitir a entrada na Noruega e o asilo a uma pessoa que as autoridades julguem importante, por razões de política externa, mas não vejo nenhuma razão dessas neste caso”, explica Paal Loenseth, vice-secretário de Estado norueguês da Justiça.

Ainda segundo o WikiLeaks, Snowden terá pedido asilo a 21 países, entre os quais a Rússia. Mas o ex-consultor informático acabou por retirar, esta terça-feira, o pedido apresentado a Moscovo. Na véspera, Vladimir Putin dissera-se disposto a conceder-lhe asilo com a condição de que parasse de “causar dano ao parceiro norte-americano”.

Moscovo não quer deteriorar as relações com Washington, já de si difíceis, tendo em conta as divergências sobre a Síria, tema que os dois chefes da Diplomacia discutiram, esta terça-feira, durante a cimeira Asean, no Brunei.

Mas a Rússia considera Snowden um homem livre, que poderá abandonar o país desde que apresente um passaporte válido.