Última hora
This content is not available in your region

Ucrânia revoltada com violação alegadamente cometida por polícias.

Ucrânia revoltada com violação alegadamente cometida por polícias.
Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia está chocada e revoltada com a violação de uma mulher, na semana passada, alegadamente por dois polícias no sul do país

A segurança em torno de Irina Krashkova foi reforçada. A mulher de 29 anos afirma que foi forçada a entrar num táxi quando regressava da discoteca. Foi depois violada e agredida por dois homens, que identificou como elementos da polícia, na presença do taxista que não fez nada para impedir o crime.

O irmão da vítima afirma que Irina “mal consegue andar”, que tem “fornecido toda a informação que lhe é pedida” e espera que seja feita justiça.

A população de Vradiyivka, na região de Mykolaiv está revoltada com o facto de um dos polícias ainda não ter sido detido. Segundo uma habitante da cidade, até agora, “as pessoas calavam-se, mas com os abusos de poder constantes” a situação está a mudar. “Foram recolhidas provas da vítima que afirmou ter sido violada em primeiro lugar pelo polícia” que continua livre. Em solidariedade com Irina, centenas de pessoas atacaram, na terça-feira, a esquadra de polícia de Vradyivka. Outra manifestação de apoio teve lugar em Kiev.

O presidente Viktor Yanukovich anunciou uma investigação ao mais alto nível para averiguar o que se passou. O procurador regional e os responsáveis pela polícia local já foram demitidos na sequência do caso.