Última hora

Eleitores do Mali com sede de mudança

Eleitores do Mali com sede de mudança
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os eleitores do Mali têm pressa em pôr fim à crise política e militar que se arrasta há ano e meio e as eleições presidenciais podem ser o primeiro passo.

Às primeiras horas da manhã, muitos faziam já fila para exercer o direito de voto.

Em Kidal, bastião tuaregue no nordeste do Mali, as assembleias de voto abriram mais tarde que o previsto. Já em Tombouctou vários eleitores não exerceram o direito de voto por não estarem registados.

No total, 27 candidatos estão na corrida às presidenciais, mas de acordo com as sondagens apenas dois têm hipótese de passar à segunda volta: o antigo primeiro-ministro, Ibrahim Boubacar Keïta e do ex-presidente da Comissão da União Económica e Monetária da África Ocidental, Sumala Cissé.

A decisão está nas mãos dos cerca de sete milhões de eleitores.

“É um enorme prazer poder votar. Quero um bom presidente para o meu país. É tempo de mudança e temos pressa, por isso, quero votar o quanto antes” afirma um eleitor.

Uma mudança num país que nos últimos meses viu parte do território ocupado por tuaregues e radicais islâmicos, sofreu um golpe de estado e foi palco de uma intervenção militar liderada pela França.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.