A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Oposição ucraniana assinala segundo ano de prisão de Timoshenko

Oposição ucraniana assinala segundo ano de prisão de Timoshenko
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Foi há dois anos que Iulia Timoshenko foi presa na Ucrânia debaixo de uma série de acusações. Algumas centenas de apoiantes da líder da oposição assinalaram a data, concentrando-se frente ao tribunal de Kiev que emitiu a condenação a sete anos de prisão, devido aos acordos ruinosos que a então primeira-ministra estabeleceu com o grupo energético russo Gazprom. Desde então, as condições de encarceramento de Timoshenko, que sofre alegadamente de uma hérnia discal incapacitante, levaram os membros do seu partido a tomar medidas.

“Há centenas de milhares, até mesmo milhões de ucranianos, a apoiarem o apelo que fizemos ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos para arrancar com o recurso de Timoshenko o mais rapidamente possível”, declara Oleksandr Turchynov, do Batkivschyna. “Se houver uma mudança no governo, ela poderá ser libertada. Caso contrário, fica na prisão”, salientava uma apoiante.

Mas a antiga chefe do executivo ucraniano, cuja prisão a União Europeia afirma ter contornos políticos, ainda está a braços com a justiça por outros processos, nomeadamente pelo homicídio de um adversário político.