Última hora
This content is not available in your region

Proibição da divulgação da homossexualidade na Rússia preocupa comunidade internacional

Proibição da divulgação da homossexualidade na Rússia preocupa comunidade internacional
Tamanho do texto Aa Aa

À semelhança do que ocorre em outros países, na cidade belga de Antuérpia manifestantes protestaram em frente do consulado russo contra a recente lei que proíbe a apologia da homossexualidade, aprovada em Moscovo.

“A lei está formulada de um forma tão vaga, que pode ser utilizada para criminalizar todas as formas de expressão dos homossexuais e das lésbicas. É uma forma de apagar a homossexualidade na cabeça das pessoas e nas ruas, tornando-a invisível”, disse uma organizadora da manifestação.

A lei, aprovada em junho pelo presidente Vladimir Putin, proíbe a “propaganda da sexualidade não- tradicional” e impõe multas a quem participar em desfiles “gay pride”.

As preocupações com a aplicação da nova legislação crescem à medida que se aproximam o Campeonato do Mundo de Atletismo e os Jogos Olímpicos de Inverno, que serão disputados na Rússia.

“A Carta Olímpica é muito clara. Diz que o desporto é um direito humano de todos independentemente da raça, sexo ou orientação sexual. Os Jogos devem ser abertos a todos, sem discriminações. A nossa posição é muito clara”, afirmou Jacques Rogge, presidente do Comité Olímpico Internacional.

Moscovo já veio ao terreno tranquilizar a comunidade internacional e tentar evitar eventuais boicotes aos dois grandes eventos desportivos.

“Aqui na Rússia nunca ninguém foi preso devido à orientação sexual. Não sucumbam à histeria que pervertidos começaram por toda a Europa. Os nossos artistas mais bem pagos têm uma orientação sexual não-tradicional e nenhum deles enfrenta qualquer descriminação”, afirmou Vitaly Milonov, um legislador russo.

Este sábado, no estádio Luzhniki, em Moscovo, começa o Campeonato do Mundo de Atletismo.