Última hora
This content is not available in your region

Fuga radioativa não demove banhistas na província de Fukushima

Fuga radioativa não demove banhistas na província de Fukushima
Tamanho do texto Aa Aa

O calor que se faz sentir no Japão convida a banhos e na província de Fukushima nem mesmo a confirmação de uma fuga radioativa para o mar demove os banhistas.

Face aos picos de radiação detetados em amostras de água, a Tepco – operadora da central nuclear de Fukushima – construiu um sistema de contenção subterrâneo, mas a barreira não foi capaz de evitar fugas.

De acordo com o governo cerca de 300 toneladas de água radioativa, contaminada com estrôncio e trítio, estão a ser vertidas para o mar, diariamente, através do porto situado em frente à central.

Os especialistas mostram-se surpreendidos.

“Não sabíamos que a concentração de resíduos radioativos era tão elevada. Precisamos de fazer novas pesquisas para saber até que ponto afetou a vida marinha nesta área” refere Blair Thornton professor na Universidade de Tóquio.

A Tepco começou, entretanto, a bombear parte da água subterrânea contaminada que está a ser armazenada em tanques contentores. A operação permite minimizar o problema, mas está longe de o resolver.