Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Agrava-se a situação dos refugiados sírios

Agrava-se a situação dos refugiados sírios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A situação dos refugiados da guerra da Síria está a tornar-se insuportável.

O Alto Comissariado das Nações Unidas já não tem mãos a medir.

A ajuda humanitária está a chegar com mais dificuldades, porque cada vez há mais campos de refugiados, no Kurdistão iraquiano.

As dificuldades aumentam e a esperança vai-se esgotando. Os refugiados dividem as culpas, entre o exército de Bashar al-Assad e a guerrilha da Al Nusra, o braço regional da Al Qaeda

“Não há qualquer esperança de uma solução pacífica para a Síria. Nós estamos a ser bombardeadas pelo regime e pelas milícias do Al Nusra que estão a provocar explosões, em todas as regiões da Síria. É por isso que as pessoas, incluindo os curdos e os árabes estão a fugir. Milhões de pessoas fugiram do país”, diz um refugiado.

A capacidade deste campo está esgotada há muito tempo.

O Alto Comissariado da ONU teve de abrir mais dois centros de alojamento, como diz um seu funcionário:

“Os números de refugiados estão a aumentar diariamente e nós não estamos preparados para um fluxo tão grande. Foi um êxodo repentino e o destino era o Kurdistão. Milhares de refugiados cruzaram a fronteira. Temos neste acampamento mais de 13 mil pessoas e abrimos mais dois campos em Arbil, um em Qush Tuba e o outro em Baherka”.

O governador do Curdistão iraquiano visitou o campo.

Massoud Barzani prometeu tomar algumas medidas para impedir a infiltração de grupos armados, através da fronteira.