A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Damasco afirma que as "provas irrefutáveis" de Washington são "mentiras"

Damasco afirma que as "provas irrefutáveis" de Washington são "mentiras"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

“Mentiras”, é como Damasco classifica as novas provas que Washington afirma possuir sobre a responsabilidade do regime de Bashar al-Assad no ataque, alegadamente com armas químicas, que terá feito 1429 mortos nos arredores da capital síria, na semana passada.

John Kerry defendeu esta sexta-feira uma ação militar contra a Síria e garantiu que Washington não vai ficar à espera do relatório dos inspetores da ONU para agir.

Na resposta, poucas horas depois, o ministério dos Negócios Estrangeiros da Síria divulgou um comunicado em que afirma que “aquilo que a administração americana classifica de provas irrefutáveis (…) são velhas histórias propagadas pelos terroristas (os rebeldes) há mais de uma semana e que são um recital de mentiras, efabulações e falsas alegações”.

Na internet vão surgindo mais vídeos amadores do alegado ataque com armas químicas no passado dia 21 de agosto, imagens cuja autenticidade não pôde ser comprovada.