Última hora
This content is not available in your region

Futuro do governo italiano dependente do futuro de Berlusconi

Futuro do governo italiano dependente do futuro de Berlusconi
Tamanho do texto Aa Aa

O futuro próximo de Silvio Berlusconi decide-se a partir de segunda-feira. Uma comissão especial do Senado italiano discutirá a questão da ineligibilidade do ex-primeiro-ministro, condenado na justiça por fraude fiscal.

Berlusconi arrisca-se a ser destituído do cargo de senador, que ocupa, e a perder a respetiva imunidade que o mantém do lado de fora da prisão.

Quanto à Itália, arrisca-se a perder o atual governo, já que o partido de Berlusconi ameaça abandonar a coligação executiva, como se depreende das palavras de Maurizio Gasparri, do Povo da Liberdade (PdL): “Um preconceito político que rejeita a validação das razões da inconstitucionalidade que muitos juristas, e não só do nosso partido, alegam criaria uma situação política insustentável.”

De facto, o governo italiano, formado em abril, assenta numa frágil coligação esquerda-direita, formada após eleições inconclusivas.

O Partido Democrático (PD), ao qual pertence o atual primeiro-ministro, avisa desde já que, se o Povo da Liberdade, de Berlusconi, fizer cair o governo, o PD não irá mendigar apoios.

“Se o Povo da Liberdade se retira, não creio que possamos andar à procura de cinco vozes aqui, de dez dissidentes desta ou daquela fação do PdL ali…”, afirma Rosy Bindi, ex-ministra e ex-presidente do PD.

O mês passado, Berlusconi foi condenado pela justiça a quatro anos de prisão e, segundo uma lei aprovada em 2012, os deputados e senadores condenados a mais de dois anos perdem os respetivos cargos.