Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Fim do mandato de Jacques Rogge no Comité Olímpico Internacional

Fim do mandato de Jacques Rogge no Comité Olímpico Internacional
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O antigo velejador e jogador de rugby termina o “reinado” à frente do Comité Olímpico Internacional. A 16 de Julho de 2001, em Moscovo, Juan Antonio Samaranch, que presidia o COI desde 1980, revelou que ao mundo que Jacques Rogge iria ser o seu sucessor.

O cirurgião ortopédico e conde belga, em 2009, foi reeleito para o cargo de presidente do COI até este ano. 12 anos depois é a vez de Rogge fazer o anúncio de quem o vai suceder e fazer previsões para o futuro: “o meu sucessor vai encontrar os mesmos desafios que encontrei. O crescimento da inatividade dos jovens, que provoca obesidade e problemas cardiovasculares. A guerra contra o doping, a corrupção e as apostas ilegais continuam.” E nestas matérias, Jacques Rogge travou grandes batalhas, algumas ganhou outras perdeu.

Durante o mandato de Rogge, o Comité Olímpico Internacional atribuiu a organização dos Jogos Olímpicos de Inverno a Vancouver (2010), Sochi (2014) e PyeongChang (2018) e de Verão a Londres (2012), Rio de Janeiro (2016) e Tóquio (2020).