Última hora
This content is not available in your region

PE apoia "reação forte" para evitar novos ataques químicos na Síria

PE apoia "reação forte" para evitar novos ataques químicos na Síria
Tamanho do texto Aa Aa

Uma “reação clara e forte” da comunidade internacional para evitar novos ataques com armas químicas na Síria.

A resolução, votada na sessão plenária do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, esta quinta-feira, apoia a proposta de colocar essas armas sobre o controlo internacional.

No entanto, o presidente da comissão parlamentar dos Negócios Estrangeiros, Elmar Brock, adverte que “o regime sírio aceita essa proposta porque teme um ataque militar. Mas se não o fizerem de forma correta, acabarão por sofrer um ataque militar e ele será totalmente legítimo!”

Os eurodeputados admitem “eventuais medidas de dissuasão”, desde que com o selo das Nações Unidas.

Mas o representante da oposição síria contactado pela euronews em Bruxelas afirma que está “cansado e indignado” com a comunidade internacional.

“Desde o início da crise, o regime sírio e os russos estão sempre um passo à frente de todos os outros. É triste ver que a guerra que o regime está a travar contra o seu próprio povo se tenha transformado numa negociação sobre o controle de armas químicas”, acrescentou Georges Chachan.

O Parlamento Europeu manifestou também preocupação com a situação humanitária na Síria e pediu o reforço da ajuda aos seis milhões de pessoas que fugiram das zonas de batalha.

A guerra civil já causou mais de 100 mil mortos em dois anos e meio