A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

ONU tem "provas flagrantes" do uso de armas químicas na Síria

ONU tem "provas flagrantes" do uso de armas químicas na Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A ONU tem “provas flagrantes” do uso de gás sarin no massacre de 21 de Agosto perto de Damasco.

É a conclusão do relatório dos peritos internacionais que estiveram no local do ataque, junto à capital síria, e que será hoje tornado público oficialmente pelo secretário-geral das Nações Unidas.

Na primeira página do relatório, pode ler-se que “foram usadas armas químicas numa escala relativamente grande” durante o conflito sírio, nomeadamente “contra civis, incluíndo crianças”.

O documento não indicará, no entanto, se a responsabilidade do uso deste tipo de armas recai sobre o regime ou os rebeldes.

Em Genebra, o presidente da comissão de inquérito da ONU sobre violação dos Direitos Humanos na Síria, Paulo Pinheiro, afirmou esta segunda-feira que as Nações Unidas está a investigar “14 alegados casos de ataques com armas químicas”.