Última hora

Polícia sul-africana acusada de ter mentido sobre massacre de mineiros

Polícia sul-africana acusada de ter mentido sobre massacre de mineiros
Tamanho do texto Aa Aa

A comissão que investiga o massacre de mineiros sul-africanos no ano passado garante ter provas de que a polícia mentiu e que a versão da polícia sobre o que aconteceu em Marikana não corresponde à verdade.

Os investigadores afirmam ter documentos que foram ocultados do público e outros com indícios de terem sido forjados, provas que foram entregues por agentes sul-africanos.

Recorde-se que a 16 de agosto de 2012, a polícia sul-africana reprimiu os empregados em greve do grupo britânico Lonmin, abrindo fogo contra a multidão na mina de platina de Marikana, a 100 km de Joanesburgo.

34 pessoas morreram.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.