Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ludovico Einaudi leva "Time Lapse" a mais países

Ludovico Einaudi leva "Time Lapse" a mais países
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Ludovico Einaudi continua em digressão para apresentar o último trabalho. O pianista italiano foi um dos nomes em destaque no cartaz do festival iTunes, em Londres, em setembro. O compositor apresentou os temas do mais recente disco, “Time Lapse”, um álbum em que volta a combinar o clássico com o contemporâneo, fiel às próprias raízes. “Venho de uma família de músicos, do lado da minha mãe”, explica o pianista. “Em casa, a minha mãe tocava piano (música clássica) e as minhas duas irmãs mais velhas tocavam desde Jimmy Hendrix aos The Beatles. Por isso, cresci entre dois mundos. Depois, continuei a ouvir diferentes tipos de música”, conclui.

Einaudi estudou no Conservatório de Milão e foi aluno do compositor Luciano Berio. Na sua discografia, contam-se álbuns como Diario Mali, de 2003, com o músico maliano Ballaké Sissoko, e Divenire, de 2007. Em 2009, aventura-se nos ritmos eletrónicos com Nightbook, repetindo a experiência no último álbum.

A sua obra conquistou o grande ecrã, nomeadamente com o filme “Intouchables” (“Amigos Improváveis”), o maior sucesso de bilheteira dos últimos anos do cinema francês. A vocação para a sétima arte tem a mesma inspiração que o resto da sua obra: “Mesmo quando componho para um filme, quero manter a mesma inspiração e ligação à música que tenho quando toco para mim”, explica Einaudi. “É difícil porque não o faço como um trabalho normal, sinto-me completamente absorvido pelo processo e quando se trabalha num filme durante quatro meses é bastante cansativo.”

Portugal já foi palco da apresentação do último trabalho do compositor em março. Na rota de Ludovico Einaudi, até janeiro, estão outros países como a Austrália, Turquia, Grécia, Itália ou França.