Última hora
This content is not available in your region

Mais um Nobel da Economia para os Estados Unidos

Mais um Nobel da Economia para os Estados Unidos
Tamanho do texto Aa Aa

O Nobel da Economia 2013 foi atribuído a três norte-americanos: Eugene Fama, Lars Peter Hansen e Robert Shille. Os economistas foram distinguidos pelo trabalho na área dos mercados financeiros, em particular na determinação do preço dos ativos.

“Os trabalhos de Fama, Hansen e Shiller não só contribuíram para alterar por completo a perspetiva dos investigadores como influenciaram as práticas de mercado” afirma Per Krusell da Real Academia de Ciências sueca.

Conhecido como o pai das finanças modernas, Fama da universidade de Chicago demonstrou que é difícil prever” a evolução dos preço das ações a curto prazo” e que “a nova informação é incorporada no valor dos títulos de forma muito rápida.”

Hansen, professor na mesma universidade, fornece as ferramentas para o estudo com os modelos estatísticos.

Já Shiller – rosto das finanças comportamentais – foi distinguido pelo facto de ter concluído que os preços das ações flutuam de forma mais acentuada do que os dividendos. Um padrão patente em obrigações e noutros ativos.

“É trabalho essencial à atividade humana que assenta em relações matemáticas. Há, no entanto, um elemento de imprecisão que reflete a própria natureza humana. Creio que é um campo importante e fascinante” refere Shiller.

Robert Shiller da Universidade de Yale tornou-se conhecido depois de ter criado o índice de preços do setor imobiliário nos Estados Unidos que detetou uma duplicação nos valores das casas entre 2000 e 2006.