A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

China critica preços Starbucks

China critica preços Starbucks
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Para os chineses é difícil de engolir. A Starbucks cobra mais aos clientes chineses do que aos outros, segundo os media do país.

Numa reportagem de 7 minutos, a televisão central do Estado diz que a maior rede mundial de cafés cobra, em Pequim, por um grande café com leite 27 yuans, o equivalente a 3,22 euros, mais um terço do que em Chicago, nos Estados Unidos.

A Starbucks defende-se, explicando que o preço depende de vários fatores, entre eles o investimento e o preço do imobiliário.

A Starbucks começou a implantar-se na China em 1999 e detém agora mais de mil lojas. É a última multinacional a ser criticada em termos comerciais no país.