Última hora
This content is not available in your region

Irão dá novos sinais de abertura ao Ocidente

Irão dá novos sinais de abertura ao Ocidente
Tamanho do texto Aa Aa

O Irão mostra-se disposto a convencer as forças estrangeiras presentes na Síria a abandonar o país. Em entrevista ao canal de televisão francês France 24, o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Muhammad Javad Zarif, foi questionado se Teerão estaria pronto para usar a sua influência junto do Hezbollah (o grupo xiita libanês que combate ao lado das forças de Bashar al-Assad). A resposta foi clara: “O Irão está preparado para apelar à retirada de todas as forças estrangeiras, de todos os que não sejam sírios do território sírio.”

Durante a entrevista ao canal de televisão francês France 24, o ministro admitiu, também, que esta semana poderá ser fechado um acordo sobre o programa nuclear iraniano. Na quinta e sexta-feira, em Genebra, na Suíça, há uma reunião entre os negociadores do Irão e do grupo 5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, França, China, Rússia e Alemanha). Trata-se do segundo encontro desde a eleição presidencial do moderado Hassan Rohani. Em meados de outubro, as negociações resultaram na aceitação das inspeções-surpresa às instalações nucleares.

Por outro lado, o diretor-geral da Agência Internacional da Energia Atómica, Yukiya Amano, foi convidado a visitar Teerão no início da próxima semana. Ali Akbar Salehi, o chefe da Organização Iraniana de Energia Atómica, já anunciou que outro acordo poderá ser assinado. Os países ocidentais e Israel estão determinados em travar o programa iraniano de enriquecimento de urânio porque suspeitam que seja destinado à fabricação da bomba atómica. Teerão nega e reclama o direito de enriquecer urânio para fins pacíficos.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.