Última hora
This content is not available in your region

Zona euro cresce, mas retoma abranda

Zona euro cresce, mas retoma abranda
Tamanho do texto Aa Aa

Crescimento sim, mas menos do que o previsto…A retoma da economia da zona euro abrandou no terceiro trimestre, depois de a região ter saído, oficialmente, da maior recessão da sua história no trimestre precedente.

Para o abrandamento contribuíram, sobretudo, as grandes economias, como a Alemanha e a França, assim como o elevado desemprego e o fraco consumo.

Segundo o Eurostat, a zona euro cresceu apenas 0,1% no terceiro trimestre, duas décimas menos do que entre abril e junho. Em termos anuais, a contração é de 0,4 por cento.

A economia alemã ficou pelos 0,3%, contra 0,7% no segundo trimestre. A França voltou a contrair uma décima e a Itália outro tanto, embora os números de Roma sejam melhores do que no trimestre precedente.

Fidel Helmer, corretor na bolsa de Frankfurt, considera “que o fraco crescimento não é dramático, porque continua a haver crescimento e no próximo ano” esperam-se melhores dados.

A tendência de abrandamento foi evidente em Portugal. Segundo o Eurostat e o INE, a economia nacional cresceu 0,2% entre julho e setembro, contra 1,1% no segundo trimestre. Face ao mesmo período do ano passado, o PIB português contraiu 1%.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.