A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Albânia rejeita acolher operações de destruição de arsenal químico sírio

Albânia rejeita acolher operações de destruição de arsenal químico sírio
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Albânia disse “não” às armas químicas sírias.

O governo albanês rejeitou o pedido dos Estados Unidos para acolher as operações de destruição do arsenal sírio, depois de vários dias de manifestações populares.

A oposição crescente levou o primeiro-ministro Edi Rama a mudar de opinião, depois de se ter mostrado inicialmente favorável ao pedido de Washington.

O chefe do governo albanês sublinhou que apesar do “enorme respeito pelos amigos e aliados insubstituíveis […] é impossível para a Albânia envolver-se nesta operação”. Rama acrescentou que o país “não dispõe das capacidades necessárias”.

Um participante na manifestação desta sexta-feira em Tirana diz que sabe “os prejuízos que poderia provocar no país, que não está preparado, nem tem a possibilidade, capacidade e especialização para efetuar este tipo de operação”.

Depois da rejeição albanesa, a Organização para a Proibição de Armas Químicas apresentou o calendário definitivo para a destruição do arsenal sírio. As armas mais perigosas deverão sair da Síria até 31 de Dezembro e o resto dos agentes químicos até 5 de Fevereiro. O processo de destruição do arsenal deverá estar concluído até Junho de 2014.