Última hora
This content is not available in your region

Aung San Suu Kyi quer investimentos europeus na Birmânia

Aung San Suu Kyi quer investimentos europeus na Birmânia
Tamanho do texto Aa Aa

Aung San Suu Kyi quer que os investidores estrangeiros apostem na Birmânia, na altura em que o país está a passar por um processo de democratização.

A Prémio Nobel da Paz, que já foi a prisioneira mais famosa do país e é a atual líder da oposição, participou na conferência da “task force” da União Europeia: “Estou aqui para vos encorajar a investir da maneira certa, de uma forma responsável, que é tendo em conta a dimensão legal e política desse investimento”.

Este grupo de trabalho da União Europeia é presidido pela chefe da diplomacia do grupo dos 28, Catherine Ashton: “Uma parceria não significa impor coisas, significa mostrar aquilo que sabemos. Os representantes da União Europeia e das empresas de toda a União conhecem o caminho que um país tem de percorrer para passar da opressão à liberdade e querem apoiar o país nesse caminho”.

O governo que sucedeu à junta militar está a fazer reformas democráticas e deu um sinal de boa vontade, ao libertar vários presos políticos. Mas o país agora chamado Myanmar tem ainda um longo caminho a percorrer em direção à democracia plena. Reportagem da enviada especial da euronews à Birmânia, Isabel Marques da Silva.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.