Última hora
This content is not available in your region

Chama olímpica mergulha acesa no maior lago do Mundo

Chama olímpica mergulha acesa no maior lago do Mundo
Tamanho do texto Aa Aa

Um passo aparentemente fácil para o homem, um salto surreal – mais um – para a tocha olímpica. Desta vez, aliás, um mergulho. A caminho dos Jogos de Inverno de Sochi, que começam a 7 de fevereiro, a chama olímpica está a realizar a mais longa viagem de sempre e este sábado fez escala no maior lago de água doce do mundo, o Baikal, na Sibéria, que tem mais de 1600 metros de profundidade e cuja longitude (636 km) é próxima à distância por estrada entre Lisboa e Madrid.

Um mês depois de ter passado pelo Polo Norte e duas semanas após ter “passeado” pela Estação Espacial Internacional, em órbita a cerca de 400 km da Terra, a tocha olímpica fez agora um mergulho de quase 20 metros de profundidade e, qual estafeta, foi passada entre mergulhadores.

A chama manteve-se acesa durante todo o mergulho graças a um combustível especial que arde dentro de água a cerca de 2000 graus centigrados. As imagens do mergulho são espetaculares (ver vídeo).

Depois do passeio submarino por aquele que é também apontado como o mais velho lago de agua doce do Mundo – terá pelo menos 25 milhões de anos -, a chama foi passada para um “homem pássaro”, que, equipado com um fato especial para voar sobre a água, transportou a tocha acesa para terra firme.

Segue-se, para a chama olímpica, a região do Cáucaso, onde está previsto a tocha subir o monte Elbrus, cujo pico mais alto está quase 6 mil metros acima do nível do mar.

A viagem da tocha olímpica arrancou a 7 de outubro, na Praça Vermelha, em Moscovo, e logo aí teve um pequeno percalço ao apagar-se acidentalmente e ter sido reacendida pelo isqueiro de um anónimo que estava no local. Ao todo, são mais de 55 mil km de um percurso que prevê a passagem por todas as 83 regiões que compõem a Rússia.