Última hora
This content is not available in your region

Irão não cede na questão do enriquecimento de urânio

Irão não cede na questão do enriquecimento de urânio
Tamanho do texto Aa Aa

O enriquecimento de urânio não vai parar e essa exigência não deve fazer parte de qualquer acordo quem o diz é o Ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão.

As dificuldades, nas negociações sobre o programa nuclear iraniano são, de facto, ainda muitas. Ainda assim, em Genebra, representantes da China, Reino Unido, França, Rússia, Estados Unidos e Alemanha unem-se para ultrapassá-las:

“Ainda há diferenças que é preciso superar. É por isso que viemos a Genebra, para fazer a nossa parte, para que um acordo possa ser alcançado. É realista pensar que podemos consegui-lo, mas há muito trabalho a fazer”, explica o Ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Guido Westerwelle.

William Hague, Secretário de Estado para a mesma pasta, é mais cauteloso quanto ao desfecho das negociações:

“Continuam a ser negociações muito difíceis. Acho que é importante frisar isso. Não estamos aqui porque as coisas estão, necessariamente, resolvidas, estamos aqui porque são difíceis. Existem diferenças pequenas mas que são importantes.”

Desde quarta-feira que diplomatas do grupo 5+1 negoceiam um acordo para limitar o programa nuclear iraniano, oferecendo em troca a suavização das sanções ao país, ainda assim, o concenso é difícil.

A palavra-chave destas negociações é “complicações”. O que fica das conversações deste sábado é que essas complicações são tão extensas que, provavelmente, conseguir-se-á apenas um acordo temporário ou um entendimento que levará a futuras negociações destinadas a acabar com os grandes obstáculos.