Última hora
This content is not available in your region

Evasão fiscal das multinacionais vai ficar mais difícil na UE

Evasão fiscal das multinacionais vai ficar mais difícil na UE
Tamanho do texto Aa Aa

A evasão e fraude fiscal custam um bilião de euros, por ano, aos cofres dos países da União Europeia.

Ao nível das empresas, o executivo de Bruxelas propõe emendas ao regime aplicável àquelas que têm sociedades afiliadas em vários Estados-membros e que abusam da regra que evita a dupla tributação.

O comissário para a Fiscalidade, Algirdas Semeta, explicou que “a proposta visa especificamente resolver este problema dos abusos, aproveitando as diferenças de legislação entre os estados-membros. Algumas empresas escapam aos impostos, canalizando os lucros de um para outro estado-membro ou para um país terceiro.”

Na prática, algumas multinacionais não pagavam impostos em nenhum dos países, ou então pagavam um valor muito reduzido face aos lucros.

A Comissão Europeia quer também acabar com os empréstimos híbridos usados para evitar pagamento de impostos.

A emenda à diretiva tem de ser adotada pelos 28 países até final de 2014.