Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ucranianos mantêm pressão sobre o governo

Ucranianos mantêm pressão sobre o governo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Manifestantes pró-europeus tentaram bloquear sem sucesso a sede do governo em Kiev. Uma ação em sinal de protesto contra a recusa do governo assinar um acordo de associação com a União Europeia. Uma decisão que segundo os manifestantes coloca a Ucrânia nas mãos da Rússia.

“Não represento qualquer partido político, mas gostava que o governo ucraniano escolhesse a Europa” afirma um jovem.

Uma ucraniana acrescenta:“Não concordo com o primeiro-ministro. Azarov não tinha o direito de fazer esta escolha. Deve, por isso, suspender a decisão ou apresentar a demissão.”

Vitali Klitschko, líder do partido da oposição Udar pede aos manifestantes que mantenham a pressão até à Cimeira da Parceria Oriental onde estava, inicialmente, prevista a assinatura do acordo.

“Acreditamos e após várias reuniões com influentes políticos europeus que Bruxelas continua interessada na euro integração da Ucrânia. As portas continuam abertas e depende de nós fazer ou não parte da Europa.”

A oposição acusa o executivo de ceder à pressão de Moscovo que advertiu Kiev para as eventuais consequências comerciais de um acordo com a União Europeia.

O fim de semana ficou marcado por confrontos entre a polícia e manifestantes que saíram à rua para contestar a decisão do governo.

Euronews: “Apesar da chuva, centenas de ucranianos manifestaram-se na Praça da Europa. Um protesto que prometem manter até 29 de novembro, dia em que o destino da Ucrânia vai ser decidido na cimeira de Vílnius”

Está na em Kiev? Envie comentários, fotos e vídeos para testemunhar para:witness[at]euronews.com