Última hora

Morreu o general francês que defendeu a tortura

Morreu o general francês que defendeu a tortura
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O general francês Paul Aussaresses morreu aos 95 anos. O chefe da espionagem na Argélia durante a guerra da independência admitiu o recurso à tortura, num livro publicado em 2001. O oficial disse tratar-se de uma prática “tolerada, senão recomendada” pelo poder político e defendeu a sua legitimidade em casos extremos. A justiça francesa condenou-o por apologia da tortura.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.