Última hora

Última hora

América recorda massacre na escola Sandy Hook

Em leitura:

América recorda massacre na escola Sandy Hook

América recorda massacre na escola Sandy Hook
Tamanho do texto Aa Aa

Na América, respeitou-se este sábado um minuto de silêncio em memória dos 26 mortos no massacre de Newtown, no Connecticut. Mas um ano após a tragédia na escola primária Sandy Hook, as armas continuam a espalhar a morte pelos recreios e pouco, ou nada, se avançou no seu controlo nos Estados Unidos.

Ao recordar as vítimas do tiroteio que matou 20 crianças, no dia 14 de dezembro de 2012, Barack Obama disse que “temos de fazer mais para impedir que pessoas perigosas possam conseguir uma arma tão facilmente. Temos de fazer mais para curar as mentes perturbadas. Temos de fazer tudo o que pudermos para proteger as crianças e faze-las sentirem-se amadas e valorizadas”.

A América continua refém do poderoso lóbi da National Rifle Association (NRA) que se protege atrás da Segunda Emenda da Constituição. Foi o que quiseram dizer os manifestantes que assinalaram o aniversário do massacre com um protesto à porta da sede da NRA, na Virgínia. “Protejam as crianças, não as armas”, lia-se num dos cartazes.