Última hora
This content is not available in your region

Mau tempo assombra Natal na Europa

Mau tempo assombra Natal na Europa
Tamanho do texto Aa Aa

Uma vaga de mau tempo está a causar problemas na Europa, na véspera de Natal.

No Reino Unido as rajadas de vento e fortes chuvas causaram, já, pelo menos quatro mortos.

Várias casas foram inundadas e mais de cem mil habitações, no sul de Inglaterra, estão sem eletricidade.

Numa altura de reunião familiar, as autoridades britânicas aconselham prudência.

“Planeie as viagens corretamente. Diga a alguém para onde vai e, de tempos a tempos, vá dizendo onde está, como está a correr e deve ser mesmo muito paciente”, aconselha Frank Bird, da Agência Britânica de Autoestradas.

O mau tempo tem causado distúrbios nos transportes públicos. Vários voos foram cancelados e muitos comboios nem chegaram a sair das estações ferroviárias.

As más condições meteorológicas fazem-se sentir um pouco por todo o continente europeu. Há avisos de alerta em vários países da Europa Central e do Sul, com situações iminentes de tempestades, chuvas fortes, queda intensa de neve, trovoadas ou chuva congelada.

Em França, chuvas torrenciais e fortes ventos causaram, já, a morte de uma pessoa. Cerca de 240 mil habitações ficaram sem eletricidade.

Bombeiros e proteção civil não têm mãos a medir.

“Temos rajadas com quase 100 quilómetros por hora e esperamos que atinjam 120-130. É uma grande tempestade, com ventos muito fortes,” informa este bombeiro francês.

Em Portugal o Instituto Português do Mar e da Atmosfera colocou a linha costeira de Lisboa e de Leiria em alerta vermelho. Outros 15 distritos, sobretudo no norte e centro de Portugal continental, estão sob aviso laranja devido a previsões de vento, chuva, queda de neve e forte agitação marítima.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.