Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Sochi: Segurança máxima a um mês dos Jogos Olímpicos de Inverno

Sochi: Segurança máxima a um mês dos Jogos Olímpicos de Inverno
Tamanho do texto Aa Aa

A 31 dias da abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno, a segurança, na Rússia, está mais apertada do que nunca.

Moscovo reforçou o dispositivo, sobretudo depois dos dois atentados à bomba que fizeram 34 mortos em Volgograd, a 29 e 30 de dezembro.

O acesso à aldeia olímpica é agora mais difícil e foi aplicado um novo plano de circulação. O acesso de carro a Sochi, cidade de 350 mil habitantes, só é permitido aos veículos que tenham uma autorização especial.

As medidas podem parecer excessivas, mas a população compreende.

“Depois do que se passou em Volgograd, é preciso”, diz uma habitante.
Um jovem reitera: “Talvez seja demasiado, nalguns sítios, mas não se pode ter Jogos Olímpicos sem segurança.”

Foram mobilizados 42.000 polícias e 10.000 agentes do Ministério do Interior. A isso somam-se os navios da marinha, prontos a eliminar qualquer ameaça proveniente do Mar Negro, e os sistemas de mísseis antiaéreos, que vigiam os céus.

Para os turistas, presentes em Sochi, a segurança é algo positivo: “Penso que é muito bom sentirmo-nos seguros onde estamos e esse é, de facto, o sentimento que temos aqui, em Sochi. Sentimo-nos bem, sentimo-nos seguros.”