Última hora
This content is not available in your region

Maré humana em protesto em Banguecoque

Maré humana em protesto em Banguecoque
Tamanho do texto Aa Aa

Um mar de gente está a inundar as ruas de Banguecoque na Tailândia. As milhares de pessoas exigem a demissão do governo e a entrada em funções de uma comissão não eleita que reforme o sistema eleitoral. Para que isso aconteça, os manifestantes querem também o adiamento das eleições antecipadas de 2 de fevereiro, convocadas pela primeira-ministra, Yingluck Shinawatra.

Apesar da chefe de governo ter convocado eleições, os manifestantes liderados por Suthep Thaughsuban, do Comité para a Reforma Democrática Popular, recusam quaisquer negociações com a chefe de governo, que ainda esta segunda-feira convidou os partidos políticos a reunirem-se para estudar um eventual adiamento do escrutínio.

O movimento de oposição ao governo da irmã de Thaksin Shinawatra, o antigo primeiro-ministro no exílio que foi acusado e condenado por abuso de poder e corrupção, planeia ocupar várias zonas da capital da Tailândia. Não acreditam em eleições livres num sistema que dizem estar corrupto.