Última hora
This content is not available in your region

Egito comemora terceiro aniversário da queda de Mubarack

Egito comemora terceiro aniversário da queda de Mubarack
Tamanho do texto Aa Aa

25 de Janeiro – terceiro aniversário da queda do presidente egípcio, Hosni Mubarak.

Foi o ponto final de um longo perído de contestação popular ao regime.

Há três anos, a Praça de Tahrir encheu-se de uma enorme multidão que festejou a queda do ditador.

Hoje, o país ainda não encontrou um rumo certo. Primeiro, os militares, depois, a Irmandade Muçulmana não conseguiram oferecer um modelo de regime, que se aproxime daquele que a população reclama.

No dia 25 de janeiro de 2011, como diz a activista Mayar Abdel Aziz, a luta contra a repressão foi a única coisa que uniu a sociedade:

“Acho que o que nos juntou a todos, no dia 25 de Janeiro, foi a luta contra a violência da polícia. Ninguém o pode negar. Além disso, há outras questões de dignidade do povo egípcio – o direito à habitação adequada, educação, nutrição e saúde do povo”.

Questões que permanecem adiadas.

A violência tem sido uma constante. Na véspera do aniversário, o Cairo foi abalado por uma série de explosões.

As cenas de violência repetem-se, entre os que reclamam uma república laica, e os que preferem um estado islâmico, como a Irmandade Muçulmana.