Última hora
This content is not available in your region

Espanhóis marcham pelo direito ao aborto

Espanhóis marcham pelo direito ao aborto
Tamanho do texto Aa Aa

Dezenas de milhares de espanhóis saíram às ruas em protesto contra o projeto-lei apresentado pelo governo e que prevê a alteração da atual lei do aborto. À estação de Atocha, em Madrid, chegaram comboios cheios de manifestantes, vindos de vários pontos do país.

O novo documento torna-se mais restritivo permitindo apenas o aborto em caso de violação e riscos graves para a saúde.

“Vim porque me parece que, neste país, estamos a retroceder muitos anos no que diz respeito aos direitos das mulheres quando se transforma em delito algo que não o deveria ser”, afirma uma mulher.

“Esta lei ataca-nos diretamente, deixa a mulher completamente desprotegida, leva-nos a abortar ilegalmente, a sermos umas criminosas, pondo em risco a vida”, desabafa outra.

O anterior governo socialista tinha legalizado o aborto até às 14ª semana, mas o Partido Popular, apoiado em questões morais e sociais e pela Igreja Católica, quer mudar a lei. Esta foi, aliás, uma das principais promessas nas eleições de 2011.

A lei precisa ainda de ser discutida e aprovado pelo Parlamento, mas o Partido Popular tem a maioria absoluta.