Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Projeto reduz consumo energético de edifícios históricos

Projeto reduz consumo energético de edifícios históricos
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um projeto europeu ambiciona restaurar o património histórico e ao mesmo tempo poupar energia. A iniciativa está a ser desenvolvida em várias cidades europeias. O objetivo do projeto é manter o conforto dos edifícios mas reduzir ao máximo o consumo de energia.

Na cidade italiana de Bolzano, especialistas das mais variadas áreas utilizam diferentes tecnologias para analisar as pontes térmicas, a temperatura e a humidade, entre outros indicadores do estado de um edifício cujas fundações remontam ao século XIII.

“O objetivo do projeto é elaborar as diretrizes e as soluções para o restauro de edifícios históricos de uma forma eficiente do ponto de vista energético, no âmbito de uma equipa multidisciplinar, com técnicos, conservadores e urbanistas. Deste modo podemos encontrar a melhor solução para cada edifício histórico”, explica Alexandra Troi, coordenadora científica do projeto.

Um dos resultados do projeto foi a instalação de uma nova janela no edificio em Bolzano. A nova estrutura combina a eficiência energética com a estética barroca do edifício.

O Palazzina della Viola pertence à Universidade de Bolonha.

O edifício data do fim do século XV mas do ponto de vista energético é ultra-moderno.

Uma das arquitetas do projeto explica os desafios da obra:

“Habitualmente, os pontos mais delicados num edíficio histórico são as janelas e os caixilhos. Se exercemos uma pressão diferente no interior em relação ao exterior podmeos avaliar quanto ar escapa do edifício”, diz a arquiteta e engenheira Camilla Colla.

Após dezasseis meses de obras, o Palazzina della Viola em Bolonha espera ser um modelo para o restauro do património histórico na Europa.

O edifício alberga o departamento de intercâmbios internacionais e é frequentado por sete mil estudantes.