Última hora
This content is not available in your region

Contagem decrescente em Itália

Contagem decrescente em Itália
Tamanho do texto Aa Aa

Ainda não nomeado, Matteo Renzi, provável futuro chefe de governo italiano, encontra dificuldades em formar a sua equipa.

O líder do Partido Democrático foi convocado pelo presidente da República, que deverá recebê-lo durante o período da manhã de segunda-feira. Mas Renzi não terá ainda ultrapassado os primeiros obstáculos nas negociações difíceis com Angelino Alfano, vice-primeiro ministro e líder do Novo Centro-direita, o NCD, que pediu condições claras sobre o programa do futuro governo.

“Se dissermos ‘não’ ao governo, o governo não nasce. Se dissermos ‘sim’ ao governo, o governo nasce. É uma grande responsabilidade, porque não temos direito de errar”, afirma Alfano.

Sabe-se que não foi possível chegar a um acordo em 48 horas.

Um comentador explica: “É um grande salto para Renzi, porque quer alcançar uma meta muito clara, a de fazer reformas, apesar de só contar com uma pequena maioria. Temos de reconhecer que Renzi, desde que se tornou secretário do Partido Democrático, tem feito grandes progressos, por exemplo, sobre a lei eleitoral, algo que esperávamos há sete anos”.

Todas as atenções estão agora voltadas para a reunião de amanhã, no palácio presidencial, altura em que, ao que tudo indica, o chefe de estado, Giorgio Napolitano, deve oficializar a nomeação do jovem líder do PD a primeiro-ministro, conferindo-lhe o mandato para formar um governo.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.