A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Ianukovitch leaks" provam fortuna desviada do erário público ucraniano

"Ianukovitch leaks" provam fortuna desviada do erário público ucraniano
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Viktor Ianukovitch desapareceu mas deixou rasto: milhares de documentos que lançou ao lago da excêntrica e milionária casa, que foram recuperados por jornalistas e por mergulhadores voluntários que os secaram a secador e os ordenaram com paciência.
Com estupor e cólera, o povo que está na miséria e que enfrentou a polícia de Estado do discípulo de Putin, descobre o luxo em que vivia o presidente, com dinheiro desviado por puro luxo. Só em candelabros da casa, Ianukovitch gastou 4 milhões de dólares. Tudo está escrito preto no branco…mesmo que desbotado.

Os ativistas e jornalistas que estão a trabalhar na descoberta já criaram a página na internet, em inglês e ucraniano, www.YanukovychLeaks.org, para divulgar os milhares de documentos que provam a avidez de Ianukovich, dos seus acólitos e familiares.

O jornalista Oleksandr Akymenko explica a importância do achado:

“Estes documentos são preciosos. Vão ajudar a provar os esquemas de corrupção utilizados por Viktor Ianukovych pessoalmente, pela sua equipa e pelos amigos chegados. Há dados que ligam empresas nas proximidades e relatórios financeiros sobre a própria residência”

Cerca de 200 pastas com milhares de páginas já estão organizados: há faturas de cerca de 30 milhões de euros dos candelabros em oiro e 73 mil euros de alguns lustres de cristal. Uma originalidade é o cuidado veterinário com os peixes do lago: 750 euros.

Para além dos planos de um ataque em massa contra os manifestantes de Kiev, foram encontrados dossiês sobre jornalistas e adversários políticos e documentos sobre os negócios da empresa de Ianukovitch, a Tantalit.

Os jornalistas contam com a ajuda de especialistas em restauração de arquivos e trabalham dia e noite, para tentar preservar o que foi salvo das águas.