Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ucrânia: Grupo armado e deputados da Crimeia aprovam referendo

Ucrânia: Grupo armado e deputados da Crimeia aprovam referendo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As manifestações noturnas pró russas envolvem o parlamento da Crimeia, na Ucrânia, ainda com um grupo armado no interior a controlar o edifício.

E foi à porta fechada, na presença de homens armados, que os deputados votaram na realização de um referendo para decidir o estatuto da região que já é autónoma e com uma população maioritariamente russófona.

Se for declarada legitima, a consulta popular será realizada a 25 de maio, o dia em que os ucranianos deverão votar num novo presidente.

“Sou pela independência, por uma Crimeia independente. Sou contra o fascismo, penso que não é possível um grupo de homens decidir por nós. Eles capturaram o poder, nós não elegemos Yatseniuk ou Turchinov”, diz uma jovem.

“Penso que devíamos realizá-lo agora, imediatamente. Convoquem uma sessão urgente para uma decisão imediata. Acho que é absurdo fazer o referendo dentro de dois meses, completamente absurdo”, avança um homem, no meio de uma multidão a manifestar-se.

A Rússia declarou que defenderá os interesses dos seus cidadãos na Ucrânia. Os próximos dias serão decisivos para se perceber qual vai ser o próximo ato.

Sergio Cantone, correspondente da Euronews na Ucrânia, afirma que “através do anúncio deste referendo, que deverá dar maior autonomia à República da Crimeia, a situação tornou numa espécie de jogo de xadrez entre Moscovo e Kiev. Moscovo acabou de fazer a sua jogada, aguarda-se pela vez de Kiev”.