Última hora

Argélia: Dezenas de detenções em protestos anti-presidente

Argélia: Dezenas de detenções em protestos anti-presidente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de duas dezenas de pessoas foram detidas este sábado, na Argélia, na sequência de mais uma manifestação, desta feita em Argel, contra a anunciada recandidatura do presidente Abdelaziz Bouteflika nas eleições marcadas para 17 de abril.

Há já 15 anos no poder, mas a sofrer de problemas de saúde que não o têm deixado exercer o cargo nas devidas condições, Bouteflika, de 76 anos, nem sequer tem sido visto muito em público desde que sofreu no ano passado um ataque cardíaco.

Há uma semana, ainda assim, o governo argelino, pela voz do primeiro-ministro Abdelmalek Selal, anunciou a recandidatura do Presidente, que conta com o apoio das forças militares argelinas e da Frente de Libertação Nacional, o maior partido político do país. Esse apoio garante, à partida, o quarto mandato a Bouteflika, o qual poderá nomear um vice-presidente para o ajudar a exercer o cargo.

O anúncio da recandidatura provocou a revolta de muitos argelinos. Algumas dezenas de pessoas, incluindo jornalistas e ativistas de direitos humanos, protagonizaram a manifestação deste sábado em Argel e gritaram nas ruas da capital por uma “Argélia livre e democrática”, afirmando que “15 anos [no poder] é suficiente” e recusando um quarto mandato do Presidente.

A polícia argelina procurou controlar os protestos e deteve os manifestantes um a um. Mais tarde, as autoridades viriam a liberta-los.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.