Última hora
This content is not available in your region

Rússia denuncia "ameaças" de parceiros por causa da Crimeia

Rússia denuncia "ameaças" de parceiros por causa da Crimeia
Tamanho do texto Aa Aa

Moscovo não tem medo de ameaças e considera “inaceitáveis” as declarações do secretário de Estado norte-americano sobre a situação na Crimeia. John Kerry acusara a Rússia de “ato de agressão incrível” na província ucraniana.

Em Genebra, onde se encontrou com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, o chefe da diplomacia russa, Sergei LAvrov, denuncia a posição do ocidente.

“Aos que têm tendência a interpretar a situação como um ato de agressão e que nos ameaçam com sanções e boicotes – e que são os mesmos parceiros que encorajam constantemente as forças políticas que lhes são próximas a avançarem para ultimatos e a recusarem o diálogo, a ignorarem as preocupações das regiões sul e este da Ucrânia, o que acabou por polarizar a sociedade ucraniana – [a esses,] apelamos para uma abordagem positiva, onde os cálculos geopolíticos sejam postos de parte e os interesses do povo ucraniano estejam acima de tudo”, afirmou Lavrov.

Às declarações de Washington soma-se a decisão, dos restantes membros do G8, que suspenderam os preparativos para a cimeira do grupo, prevista para junho, em Sochi.

Isto, enquanto as ruas de Moscovo eram palco, este domingo, de manifestações de apoio à população russófona da Crimeia.