Última hora
This content is not available in your region

UE avisa Rússia de que pode endurecer sanções

UE avisa Rússia de que pode endurecer sanções
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia decidiu avançar com a aplicação de sanções políticas à Rússia, depois de uma cimeira extraordinária que decorreu, nesta quinta-feira, em Bruxelas.

Os chefes de Estado e de Governo europeus decidiram suspender as discussões bilaterais com a Federação Russa sobre a liberalização de vistos, antiga pretensão de Moscovo.

Os 28 avisam a Rússia de que se persistir na campanha militar na Ucrânia, então as consequências serão mais duras.

“Se a Rússia tomar medidas que desestabilizem a Ucrânia ou, para falar mais simplesmente, que ponham em causa a integridade territorial da Ucrânia e, assim, a sua soberania, então tomaremos novas medidas”, avisa o presidente francês, François Hollande.

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirma que a União Europeia seguirá a mesma linha de sanções adotadas pelos Estados Unidos da América. “Se olharmos para o que os Estados Unidos anunciaram hoje, é a chamada ordem executiva do Presidente, a respeito de uma possível proibição de vistos e congelamento de bens. Estamos em estreita coordenação com os Estados Unidos sobre este assunto,” confirma.

A UE anunciou que as sanções podem incluir a anulação da próxima Cimeira entre a União e a Rússia e que vai assinar o acordo de associação com a Ucrânia antes das eleições presidenciais.

A postura mais dura da União Europeia está, claramente orientada para as ações russas na Crimeia e para o referendo que está agendado. Mas, dada a importância estratégica da região para Moscovo, a questão é se a ameaça de futuras sanções financeiras será suficiente para convencer Putin a mudar de rumo “