Última hora
This content is not available in your region

Presidente da África do Sul acusado de corrupção

Presidente da África do Sul acusado de corrupção
Tamanho do texto Aa Aa

O principal partido da oposição na África do Sul, a Aliança Democrática, acusou, formalmente, o Presidente Zuma de corrupção. A formação diz que as obras na propriedade do chefe de Estado foram financiadas com dinheiro público sem que se justificasse. Para Mmusi Maimane, líder da AD para a região de Gauteng, só há uma solução:

“Se todos são iguais perante a lei, então todos devem ser tratados da mesma forma, acredito que o presidente Zuma e o seu arquiteto Makhanya têm tido benefícios o que significa que deve ser instaurado um processo criminal.”

O Presidente e o partido do governo, o Congresso Nacional Africano, justificaram os cerca de 16 milhões de euros gastos com despesas de segurança.

Enquanto num relatório, divulgado esta quarta-feira, a procuradora-geral sul-africana, acusava Jacob Zuma de conduta pouco ética, ao usar o referido dinheiro para realizar obras na sua casa rural, que incluíam a construção de uma piscina que, segundo o Chefe de Estado, serve como segurança em caso de incêndio. O Presidente tem 14 dias para responder ao relatório frente ao parlamento.

Este caso acontece a poucas semanas de Zuma se recandidatar à Presidência da África do Sul.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.